Duarte Marques: Uma lata descomunal

Já tínhamos saudades de Duarte Marques. O antigo líder da JSD, traz-nos hoje mais um daqueles brindes característicos de quem passa pela liderança da JSD - ser conhecido pelas piores razões.

Agora, a lata não tem fim.

Duarte Marques quer apurar responsabilidades do Banco de Portugal em relação ao BPN.

Ou seja, a culpa não é do ladrão, mas sim do polícia que não apanhou o ladrão.

Quanto aos "ladrões", nem vale a pena referir quem são e a que partido pertencem. Isso convém ser esquecido, não é Duarte Marques?






Lembra-se disto? (1)


"O corte de remunerações, por imperativo legal, só pode ser transitório. Medidas deste tipo apenas podem ser justificadas em condições excepcionais e as condições excepcionais não podem ter duração indefinida.


Vitor Gaspar, 17/10/2011

Carlos Carvalhas reconhece o mérito de Sócrates na luta contra o resgate

Aos 71 anos, o homem que foi líder do PCP entre 1992 e 2004 e que foi deputado durante 20 anos afirma que o seu partido “não é doido nem aventureiro”, sendo essencial renegociar a dívida. 

Carvalhas acredita que se a União Europeia tivesse cedido a José Sócrates - ao não pedir resgate - a história tinha sido outra, porque Merkel e Trichet teriam cedido e não deixariam cair Portugal.

Entrevista à ANTENA 1

Social-Democrata?

O atual Governo diz-se falsamente social-democrata. Mas obviamente que não é. Social-democrata significa ser de esquerda, como sempre foram Sá Carneiro e António Capucho. Ora o atual Governo é, como se tem visto, de extrema-direita, dirigido por uma coligação populista.

Com efeito, Paulo Portas, que substituiu o CDS por PP (Partido Popular, à espanhola), disse há cerca de um mês ser democrata-cristão, mas dias depois arrependeu-se, como é seu costume.

Virá a ser o que for preciso no momento que mais lhe convier. Mas pobre dele. Ou obedece ao chefe do Governo ou lhe cai em cima tudo o que está em suspenso, no que se refere a submarinos e a tanques. E talvez a outras coisas que a comunicação social não refere, enquanto não receber ordens.

A verdade é que a coligação governamental, sob proteção do Presidente da República, haja o que houver, até ao fim do seu mandato, atua, nas mais pequenas coisas e por menos que goste dos dois dirigentes da coligação, no sentido de os salvar.

O Presidente disse que temos vinte anos (ou mais) à nossa frente sem que possamos fazer nada. Felizmente, engana-se redondamente porque a Europa está em mudança, como começa a ser conhecido, e, apesar de ter tomado o gosto pelas viagens e de ter falado com vários estrangeiros, não percebeu ainda que a Europa da zona euro, como o mundo na sua totalidade, está em mudança acelerada (...)

Mário Soares - DN

A realidade dos jovens europeus

"Quase metade dos europeus até aos 30 anos ainda vive com a família. Em Portugal, o número atinge 55%, apesar da descida apontada por um relatório europeu apresentado nesta terça-feira."
Mais numeros que ilustam a precariedade que a juventude europeia sofre.


Marcos Gomes

O Baile de José Sócrates a José Rodrigues dos Santos



Enfim, teimam em cair na esparrela de tentar menorizar o "animal feroz". Se ainda fosse com capas do Correio da Manhã, agora em Debate, com direito a resposta de José Sócrates, não há quem sobreviva.
É desprestigiante ter visto JR dos Santos a subjugar-se a tal tratamento.

Para a próxima, JRS, faça o trabalho de casa e seja isento.

Carneirísmos de carreira.

As lágrimas da deputada Maria




A deputada do PSD Maria José Castelo Branco, eleita pelo círculo do Porto, terá chorado copiosamente na reunião da bancada parlamentar da passada quinta-feira, quando anunciou perante os pares que ia votar contra a proposta do PS que permitiria a coadoção de crianças por casais do mesmo sexo. Maria desfez-se em lágrimas: ela queria votar favoravelmente o projeto socialista, mas a "pressão das estruturas locais do partido" tê-la-á obrigado a ir contra o que a sua consciência ditava nesta matéria de costumes. No ponto mais alto da choradeira, Maria terá mesmo pedido desculpa aos colegas de bancada. "Desculpa pela cobardia".

Maria não foi a única a dar esta vergonhosa cambalhota. Outros parlamentares o fizeram, em nome da chamada "disciplina de voto". Esta coisa execrável atingiu o paroxismo, oh ironia do destino!, no lado dos que gostam de aspergir cavalares doses de amor à ética, à moral, aos valores e aos bons costumes sobre os incautos . O líder da bancada do CDS/PP não impôs a "disciplina de voto": chamou-lhe "orientação firme de voto", modo cínico e prepotente de dizer aos apaniguados que era para chumbar a coadoção.

O triste exemplo de Maria - e de todos os outros deputados da nação que torceram a espinha até ao limite na passada quinta-feira - não merece qualquer comiseração, seja qual for a quantidade de lágrimas libertadas. Merece, isso sim, a mais viva reprovação. O Pedro Ivo Carvalho, meu colega aqui na casa, resumiu o problema desta forma lapidar: "Na coadoção, a votação à direita dividiu-se entre os que têm consciência e mantiveram o voto e os que não têm outro emprego e mudaram o voto"."

É a verdade verdadinha. A ameaça que pairava sobre a cabeça dos desalinhados não era velada, era explícita: se não votassem de acordo com as indicações vindas do topo, as "bases", essas poderosas contudo informes entidades ficariam incomodadas. Quer dizer: lá onde se definem os lugares para o Parlamento e os empregos para familiares e amigos, a traição jamais seria perdoada. Luís Montenegro, presidente da bancada do PSD, chegou mesmo a dizer, certamente num momento de passageiro delírio, que os deputados sociais-democratas votavam contra o projeto socialista porque "isso coincide com a posição maioritária dos eleitores do PSD". Não sei se ria, não sei se chore...

Neste tristíssimo palco de desgraças, já não nos bastava ficar ao lado da Rússia, da Ucrânia e da Roménia, formando com eles o ridículo grupo de países que, na Europa, recusam direitos decisivos e elementares a crianças que vivem com casais do mesmo sexo. Como se elas não fossem iguais às crianças que vivem com casais heterossexuais. Não: ainda tivemos de apanhar, uma vez mais, com a perturbante demonstração de que a consciência e a escala de valores de alguns dos nossos deputados são hipotecáveis e manipuláveis. Não está mal...

Declaração da Srª Presidente do CDS PP de Lousada (??!)

Relativamente à polémica em torno do abandono da Coligação Lousada Viva da Ass. Municipal de 28 de Fevereiro, custa-nos acreditar no teor das palavras da Srª Presidente do CDS PP, quando estão em causa os valores democráticos e o tão apregoado direito ao contraditório.

A Srª Presidente refere ao TVS que "Se (o presidente da junta de Caíde de Rei, quisesse defender-se) podia convocar uma conferência de imprensa para o fazer, e não como o fez, usar a Assembleia Municipal". (????????)

Este tipo de opiniões são elucidativas do posicionamento da Coligação Lousada Viva, ou seja, quando se tem que "criticar", opta-se por fazê-lo num meio controlado, sem que os visados se possam defender.

Isso é o que nos distingue.

Assunto arrumado. Registamos.

Leitura não aconselhada a pessoas sensíveis


Fonte: Página Pessoal de Carlos Reis.

"Para vocês, que certamente não me conhecem, permitam-me que me apresente: sou militante do PSD, com o n.º 10757. Na JSD onde me filiei aos 16 anos, fui quase tudo: vice-presidente, director do gabinete de estudos, encabecei o conselho nacional, fui quem exerceu funções por mais tempo como presidente da distrital de Lisboa, fui dirigente académico na Faculdade de Direito de Lisboa, eleito com a bandeira da JSD, fui membro da comissão política nacional presidida por Pedro Passos Coelho, de quem, de resto, fui um leal colaborador."

Carlos Reis

O que não convém referir sobre o famoso Ranking

Há algum tempo, foi apresentado e noticiado um pouco por toda a imprensa o Portugal City Brand 2014. Um ranking elaborado pela empresa Bloom Consulting que avalia os 308 municípios tendo em conta dados relativos ao investimento, turismo e qualidade de vida.
Obviamente apressaram-se em congratulações aqueles cujo município estaria bem classificado e em críticas aqueles cujo município estaria numa posição de menor destaque.

Sobre o estudo e a empresa que o realizou, não terei qualquer objeção. O ranking é claro e está descrita taxativamente a forma como os resultados foram alcançados.

O que é de criticar é a relevância que muita gente atribuiu a esta classificação, sem se ter preocupado em ler as 36 páginas deste estudo.
Neste erro, caiu a Coligação Lousada Viva que, de forma recorrente, continua a tratar os assuntos de forma ligeira, sujeitando-se posteriormente à apresentação da totalidade dos factos. Desta vez não houve plágio, mas sim uma opinião pouco condizente com os dados do estudo.

Na última Assembleia Municipal era por demais previsível que surgisse uma crítica derrotista a Lousada por parte da bancada do PSD/CDS. Numa intervenção preparada mas sem qualquer análise cuidada, a “leitura” desta tomada de posição foi demeritória para com o esforço que Lousada tem feito, juntamente com os seus empresários e demais cidadãos.

Parece-me pouco viável, atribuirmos uma importância extrema a um estudo elaborado por uma empresa que “trabalha para diferentes líderes políticos (…) com o objetivo de gerir a marca de cada território”. Ou seja, a sua atividade é gerir a marca dos territórios que contratem os seus serviços. Não estranhamos que quem não seja cliente desta empresa, não esteja muito bem classificado!

Por outro lado, quando emitimos uma opinião, esta deverá ser preparada, sob o risco de ridicularizarmos a mesma.

Parece-me um pouco desadequado, sobrevalorizarmos um ranking que em três variáveis, duas refletem questões facilmente manipuláveis. Por exemplo:

Variável 2 (p.8): “As buscas online (…) são um indicador fiável para compreender o que cada pessoa pensa”.

Variável 3 (p.9): “O critério de avaliação utilizado foi o de que quantos mais seguidores ou Likes (no facebook) um município tem, melhor”.

Referem ainda como Nota: “Os dados para cada Município não se encontram disponíveis no presente documento contudo podem ser adquiridos de forma individual por um valor muito competitivo(…) Caso esteja interessado, contacte-nos.”

No final, na p.34, a Bloom Consulting ainda responde como poderão os municípios melhorar a sua performance no ranking, ou seja, recorrer aos seus serviços!

Quanto a mim, estes são factos de extrema importância. Parece óbvio a qualquer um, que a realidade vertida no documento não primará pela exigência, mas nem isto é suficiente para colocar alguma consciencialização em pessoas que, ávidas por sensacionalismo e ainda não refeitas dos resultados eleitorais, querem continuar com a política do “bota-abaixismo”.

Nelson Oliveira
in: Verdadeiro Olhar

Augusto Santos Silva e as Exonerações



1. Eu até compreendo a iniciativa dos dois consultores de Cavaco Silva que assinaram o "Manifesto dos 70" de pedirem a exoneração das suas funções e a resposta pronta do Presidente.

2. É que ninguém quer amarrar o Presidente a este ou àquele lado de um debate político necessário.

3. O que não compreendo é a política dos "dois pesos, duas medidas".

4. Cavaco Silva tem, na sua Casa Civil, quem inventou, invocando o seu nome e autoridade, falsas "notícias" contra o Governo então em funções; quem participou ativamente em iniciativas do PSD, como a redação de programas eleitorais; quem participou ativamente em lutas internas ao PSD, redigindo moções e apoiando publicamente candidatos; quem produz regularmente opinião. Se isso nunca lhe colocou problemas, porque raio há de colocar-lhe agora a subscrição de um manifesto por dois consultores?

5. A resposta é só uma: porque o teor desse manifesto põe diretamente em causa a política do Governo. Mas então, talvez conviesse que Cavaco relesse o artigo 120 da Constituição: lá se diz que o Presidente representa a República Portuguesa. A República, não o Governo. A República, não uma fação.

Augusto Santos Silva

Começou a purga - Cavaco Silva inicia a sua perseguição






O Presidente da República exonerou hoje dos seus cargos de consultores da Presidência da República Vítor Martins e Sevinate Pinto.


Uma entrevista que revela coerência, responsabilidade e elevação - João Torres (SG da Juventude Socialista)

Se está à espera de mais uma entrevista impregnada de opiniões grosseiras e irresponsáveis como nos tem habituado as juventudes partidárias da direita - esqueça!

Esta é uma entrevista onde o Secretário Geral da JS demonstra porque é diferente, porque é melhor que os demais e porque tem uma visão própria para o país.

Este jovem, orgulha os jovens Portugueses.


Miguel Relvas continuar igual a si próprio


"Miguel Relvas voltou a não surpreender.

Conseguiu ser eleito em primeiro lugar para o Conselho Nacional, sem ter posto os pés no Congresso do PSD."

Daniel Oliveira.
Eixo do Mal - 1/3/2014

Multidão no Carnaval em Lousada

Não contamos Autocarros nem Guarda chuvas.
Não foram 7500 pessoas. Foram sem dúvida muitas e muitas mais.

Parabéns!

Carnaval em Lousada!

Foto: TVS

Alguém falou em Défice Democrático? Assessor do PSD agrediu repórter na chegada de Miguel Relvas

Ninguém estava à espera que fosse o Correio da Manhã o único meio de comunicação social a noticiar algo que deveria abrir telejornais.

Este é o estado do jornalismo nacional. Nem os próprios colegas ousam defender o jornalista e acusar os agressores.

Violência gratuita, apenas porque o jornalista tirou uma foto.

ASSESSOR DO PSD AGRIDE REPÓRTER